Seja muito bem-vindo(a) à Rádio Super!

menu x
menu x

NOTÍCIAS

Apostas esportivas são realidade no Brasil

Após a promulgação da lei 13.756/2018 em dezembro de 2018 pelo então presidente Michel Temer, tornou lícita em todo o território nacional a atividade das apostas esportivas de quotas fixas.

O mercado de apostas esportivas no Brasil está apenas no começo, mas já é uma realidade há anos em países europeus.

Se tomarmos o exemplo da Inglaterra (país mais tradicional em termos de apostas), o Brasil está engatinhando mas está no caminho certo. Esse mercado na “Terra da Rainha” movimenta cerca de R$ 10 bilhões por ano (apenas o de apostas esportivas).

Analisando a força e a competitividade do melhor campeonato nacional do mundo, a Premier League, não é à toa que vemos estádios lotados para assistirem e torcerem pelos melhores jogadores do mundo.

Tudo isso gera receita, interesse de mídia, interesse de patrocínio que é “devolvido” em forma de quotas para os clubes. Não é à toa também que vimos duas finais de campeonatos continentais (os dois mais importantes da Europa) com finalistas ingleses. A final da Liga Europa da UEFA (Arsenal e Chelsea), assim como os finalistas da UEFA Champions League (Liverpool e Tottenham).

O segundo melhor campeonato do mundo, para os especialistas é a La Liga ou Campeonato Espanhol de futebol. A La Liga é patrocinada por uma casa de apostas esportivas.

A tradicional empresa de apostas esportivas com sede em Londres, Tempobet, é patrocinadora oficial do campeonato que pelos últimos 11 anos teve o “melhor jogador do mundo” eleito pela FIFA jogando em seu gramado.

Se sairmos do campeonato e partirmos para os clubes a situação não muda. Na última temporada foram 19 times da Primeira Divisão Espanhola apoiados por patrocínios de sites de apostas (o campeonato tem um total de 20 times).

No Brasil já são dez clubes que assinaram com sites de apostas esportivas e engana-se quem pensa que esse mercado está apenas no começo.

Os sites de apostas esportivas, no país do futebol, movimentam cerca de R$ 4 bilhões e os projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional estimam que a legalização de outras modalidades de jogos podem levar a uma arrecadação de R$ 40 bilhões por ano.

Enxergando os benefícios que uma possível liberação do jogo pode trazer ao Brasil, os deputados estão dispostos a aprovar a legalização dos jogos de azar, trazendo assim, maiores recursos e empregos ao país.

 

NOTÍCIAS

PUBLICIDADE

shares