Rádio Super - A Original

MENU
Logo
Quinta, 25 de fevereiro de 2021
Publicidade
Publicidade

Sorocaba - RMS

Livros com conteúdo sexual são denunciados por Manga em vistoria

Os livros fazem parte de lote comprado pela gestão anterior e que estavam armazenados na Arena Multiuso

2371
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Uma visita foi feita neste sábado (16), pelo prefeito Rodrigo Manga (Republicanos), ao estoque de livros comprados na gestão anterior, administrado pela então prefeita Jaqueline Coutinho (PSL) que estavam armazenados em um espaço na Arena Multiúso.

Os livros paradidáticos, que são aqueles com abordagem aprofundadas de diversos assuntos, que são utilizados no cotidiano ou em aulas extracurriculares, quando comprados, custaram aproximadamente R$ 29 milhões e agora serão transferidos para um espaço da Secretaria da Educação (Sedu).

Em uma live, Manga lamentou que o exagerado gasto de recursos públicos com esses livros poderia ser muito melhor aproveitado em outros investimentos na educação.

"Com esse valor, de mais de R$ 29 milhões, gastos sem critério com os exemplares, nós poderíamos reformar, fazer manutenção e construir novas creches, sanando a fila de vagas das crianças por muitos anos", declarou.

A intenção da fiscalização, é que através de uma ação conjunta entre a Corregedoria Geral do Município (CGM), em parceria com as secretarias da Educação (Sedu) e de Relações Institucionais e Metropolitanas (Serim), possa ter uma investigação e detectadas as possíveis implicações legais na aquisição desse material, executado pela ex-prefeita Jaqueline Coutinho (PSL) e pela Secretaria da Educação da gestão passada, às pressas, no mês de dezembro de 2020. Uma das linhas investigadas aponta que isso teria sido feito na tentativa de se atingir os 25% constitucionais de gastos anuais que deveriam ter sido feitos na área da Educação em Sorocaba, em 2020.

 Denúncia de livro com conteúdo sexual 

Um dos livros – que nem chegaram a ser desembalados pela administração anterior –  apresenta possível conteúdo sexual, como é o caso do exemplar intitulado "No meu corpo mando eu", que em um trecho diz,  "Um pênis tenho, por fora. E de bolas tenho um par"; "Meus seios hoje pequenos ficarão cheios e fartos e gostosos de tocar"; "Vou querer transar um dia. Porque é uma coisa bem gostosa"; "Alguns dizem que o sabor é que nem de chocolate. Vou querer transar um dia para provar deste calor".,

Os exemplares exprimem também imagens com crianças do mesmo sexo em contatos afetivos. Foram comprados ao todo 1.586 volumes deste título. "Eu não tenho nada contra a orientação sexual de ninguém, mas não vamos aceitar a distribuição desses livros com conteúdo impróprio para a faixa etária das nossas crianças. São textos que incentivam a prática de relações sexuais, fazem apologia à homossexualidade e nós entendemos que isso não deve ser disseminado aos nossos estudantes", declarou o prefeito.

Rodrigo Manga disse ainda, que a Prefeitura, por meio de uma comissão, realizará um crivo feito pela Sedu para analisar quais livros serão aproveitados para a entrega aos estudantes.

A respeito da compra, a Corregedoria alega que houve claros indícios de desrespeito ao princípio de eficiência, além de desperdício de recursos públicos e a ausência de um devido planejamento pedagógico.

"A investigação deverá apurar as responsabilidades, podendo apontar para a prática de improbidade administrativa e de conduta funcional pelos agentes públicos que, na época, atuavam na gestão municipal", salientou o corregedor Geral do Município, Carlos Rocco Junior.

.O prefeito Rodrigo Manga esteve acompanhado do vereador Vinícius Aith (PRTB).

Fonte/Créditos: Rádio Super

Créditos (Imagem de capa): Secom

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Estamos felizes em ter você com a gente. Deixe seu recado