Rádio Super - A Original

MENU
Logo
Sábado, 23 de janeiro de 2021
Publicidade
Publicidade

Sorocaba - RMS

Já está em ação o Plano Verão, que busca prevenir e minimizar desastres naturais em Sorocaba

Um decreto publicado no Jornal do Município no dia 17 de novembro institui o comitê executivo que integra secretarias, empresas e autarquias públicas

24
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Teve início nesta terça-feira (01) o Plano Verão 2020/2021 de Sorocaba. O objetivo é prevenir e minimizar desastres naturais, danos materiais e preservar vidas no período de maior incidência de chuvas que, também, começa sempre em dezembro. A operação realizada pela Prefeitura por meio da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (CMPDC), em articulação com o Sistema Estadual de Defesa Civil, acontece todos os anos no período de 1 de dezembro a 31 de março do ano subsequente, podendo ser prorrogado quando do conhecimento de chuvas fortes na região e que possam alterar o volume do rio Sorocaba e dos córregos, além da maior infiltração no solo daquelas áreas ocupadas inadequadamente.

Um decreto publicado no Jornal do Município no dia 17 de novembro institui o comitê executivo que integra secretarias, empresas e autarquias públicas municipais para otimizar ações de prevenção e recuperação em caso de desastre.

Pontos monitorados

Em Sorocaba existem 88 pontos críticos mapeados, sendo 41 de alagamento, 21 sujeitas à inundação e 26 a deslizamentos. O monitoramento é feito também diariamente nos pontos instalados na cidade como Estação de Tratamento de Água (ETA) Cerrado e Éden, Aterro Sanitário (Zona Industrial), Empresa Júlio & Júlio (Bairro dos Morros), E.E. Brigadeiro Tobias (Bairro Brigadeiro Tobias), Paço Municipal (Alto da Boa Vista), ABB/Flextronics (Bairro Aparecidinha) e SAAE São Bento (Parque São Bento).

O nível do rio é acompanhado através do vídeo-monitoramento da régua instalada pelo SAAE na praça "Lions" e com a Plataforma Coletora de Dados Estação Hidrológica sobre a ponte Francisco Dell'Osso, monitorada pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN). Os dados pluviométricos são utilizados para calcular o parâmetro acumulado de chuvas sempre de três dias.

A operação monitora ainda os níveis que caracterizam o Estado de Observação (chuvas acumuladas até 59,9 mm em 3 dias); Estado de Atenção (a partir de 60 mm em 3 dias, com alagamentos e previsão de chuva contínua); Estado de Alerta (acumulado de 3 dias com 60 mm ou superior e previsão de chuva contínua, vistoria e remoção preventiva da população das áreas de risco pelas equipes da Defesa Civil); e Estado de Alerta Máximo (acumulado de 3 dias superior a 60 mm com previsão de chuva contínua e ocorrências em andamento e remoção da população das áreas de risco, indicada por vistoria técnica).

Ações preventivas

Com o objetivo de prevenir ocorrências, diminuir os impactos de desastres naturais e proteger a população, a Secretaria de Segurança Pública (Sesu) desenvolve o Plano Preventivo de Defesa Civil (PPDC). Neste ano foram registrados 506 atendimentos no período, o menor número dos últimos cinco anos, cuja redução é apontada pela Sesu como resultado de procedimentos adequados e vistorias preventivas em áreas de risco propensas a alagamentos, inundações e deslizamentos de terra.

Telefones emergenciais

A comunicação de uma emergência pode ser feita através dos telefones emergenciais: 199 (Defesa Civil/Guarda Civil Municipal; 193 (Corpo de Bombeiros) e 190 (Polícia Militar), todos com plantões 24 horas.

Fonte/Créditos: Secom

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Estamos felizes em ter você com a gente. Deixe seu recado